A Superfície da Sombra (2018) Poster

Assistir A Superfície da Sombra (2018) Dublado

Título original:

A Superfície da Sombra dublado

Ano de produção: 2017
Nacionalidade: Brasil, Uruguai
Gênero: Drama / Suspense / Novos Filmes
Dirigido por: Paulo Nascimento
Com: Leonardo Machado, Giovana Echeverria, César Troncoso
Qualidade do video: HD
Áudio: Português
Visitas: 257

Imagine que você está criando uma personagem para um filme. Digamos que ela é uma jovem solitária, dotada de um trauma de infância. Esta construção pode ser representada por vários caminhos: a maneira como ela age, os objetos com que lida em casa, que podem simbolizar a sua dor, as imagens inserindo-a em grandes espaços vazios, ou no meio de uma multidão anônima, por exemplo. O trauma pode ser sugerido, ser simbolizado por metáforas, tornar-se ambíguo através de ações. Ou então ele pode ser apenas transmitido em diálogos. Um personagem chega ao outro e diz: “Aquela menina é solitária. Ela sofreu um trauma na infância”. A Superfície da Sombra aposta quase inteiramente neste último recurso, o mais fácil em termos de representatividade. Diálogos podem ser ricos pelo poder de sugestão, pela possibilidade de dizerem muito mais sobre um personagem do que ele mesmo afirma (Digamos que a menina do exemplo acima está claramente apaixonada por alguém, mesmo quando insiste não ter sentimentos por esta pessoa). No entanto, uma narrativa dependente apenas de diálogos para se desenvolver se torna frágil demais. Afinal, por que eu deveria acreditar naquelas pessoas, se nunca vejo o que elas realmente dizem? Nesta história, o brasileiro Tony (Leonardo Machado) chega ao Uruguai. No primeiro bar em que para, dois homens comentam o enterro de uma mulher. Obviamente, este é o motivo da viagem do protagonista. A jovem Bianca (Giovana Echeverria) conta a história da mulher sentada sobre um baú, mas o espectador não vê esta figura. Ela comenta a morte de um homem, mas também não vemos o caso. Ela explica ainda o passado da funcionária de um restaurante, um boato envolvendo facas, o comportamento da falecida e muitos outros elementos ausentes da imagem. O coveiro e cantor Domiciano (Cesar Troncoso) também fornece informações sobre as festas e os perigos da cidade. Por todos os lados, as pessoas tornam-se veículos de explicação para Tony, e consequentemente, para o espectador. Para o diretor e roteirista Paulo Nascimento, o espectador precisa acreditar naquelas informações ouvidas por terceiros, em voz indireta, já que não pode tirar suas próprias conclusões. Mesmo os conflitos básicos da premissa estão ausentes: não percebemos Tony ou Bianca em luto, não conhecemos quase nada sobre os sentimentos nutridos pela falecida. Tony se desloca com a mesma aparência de roqueiro decadente em todas as cenas, embora não se perceba a importância deste modo de vida em sua personalidade. Bianca alterna entre o tom infantil e o sedutor, entre a indiferença e a preocupação com Tony, numa oscilação pouco coerente. A situação não melhora quando percebemos que a intensa carga de diálogos recai sobre os ombros de brasileiros interpretando uruguaios que falam português. Por mais que Echeverria se esforce na construção do sotaque, sua entonação é típica do português, ora acentuando demais os traços hispânicos, ora esquecendo-os. O contraste com a pronúncia do uruguaio Cesar Troncoso acentua a artificialidade das atuações. Muitas das falas soam explicativas, enquanto outras se transformam em frases de efeito, escritas em excesso: “Quando homens e mulheres começam a viver seus sonhos, e esses sonhos se transformam em fantasmas, é hora de partir”. Cesar Troncoso possui uma presença muito forte em tela, porém os demais atores enfrentam dificuldades para criar reais motivações para seus personagens inconsistentes. Enquanto isso, a direção opta por recursos contraproducentes, incluindo as câmeras lentas que pouco acrescentam à construção do ambiente, o voyeurismo nunca esmiuçado, os flashbacks sublinhando elementos claros até demais (a questão das facas). Para complicar a situação, as mulheres são reduzidas ao fetiche da bruxa-feiticeira: qualquer figura feminina em tela orbita em torno de Tony, seduzindo-o nas ruas, bares e dentro de casa, culminando na questionável cena ritualística. Para não entrar em detalhes, basta dizer que o filme seria sumariamente reprovado no teste Bechdel. A Superfície da Sombra se conclui como uma tentativa válida de trabalhar com o suspense no limite entre o natural e o sobrenatural, mas prejudicada pela incapacidade de desenvolver personagens e encontrar soluções narrativas para além dos diálogos.

Assistir Filme A Superfície da Sombra (2018) Online Grátis Full HD




Assistir A Superfície da Sombra (2018) Online








Back to Host

NOVOS FILMES